segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Guiné-Bissau duplica exportações para Europa mas saldo ainda é negativo

A Guiné-Bissau duplicou o volume de exportações para a Europa, passando de 3,3 milhões em 2014 para 6,6 milhões em 2016, mas o saldo é negativo devido aos 126 milhões de euros em importações, noticia hoje a Lusa.
De acordo com os dados disponibilizados à Lusa pelo instituto oficial de estatísticas na União Europeia, o Eurostat, nas vésperas da cimeira entre a União Europeia e a União Africana, a decorrer de 29 a 30 de Novembro na Côte d'Ivoire.
A Eurostat sublinha que as importações de produtos europeus desceram de 160 milhões de euros, em 2015, para 117 milhões no ano seguinte, mas voltaram a subir para 126,8 milhões no ano passado.
As exportações para o continente europeu, no entanto, são bastante menores, apesar de terem duplicado entre 2014 e 2016 desceram de 3,3 milhões em 2014 para 2 milhões em 2015 mas subiram para 6,6 milhões no ano passado.
Assim, o saldo das trocas comerciais entre a Guiné-Bissau e os 28 países da União Europeia permanece negativo, tendo evoluído de 156,6 milhões em 2014 para 115 milhões em 2015 e 120,2 milhões no ano passado.
A incerteza política, a continuidade das reformas e o ambiente político são os maiores obstáculos ao crescimento da economia da Guiné-Bissau, que deverá ver a sua riqueza crescer 4,8% neste e 5% no próximo ano.
Os analistas do Banco Africano para o Desenvolvimento, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico e das Nações Unidas no relatório sobre as Perspectivas Económicas Africanas, dizem que, as económicas e sociais continuam frágeis porque dependem fortemente do sector do caju, da continuidade das reformas lançadas e do ambiente político.
O documento, divulgado em Maio em Ahmedabad, na Índia, antecipa um crescimento do PIB na ordem dos 5% para este e o próximo ano, essencialmente devido à produção agrícola, o que é positivo porque foi alcançado num ambiente de incerteza política.
O quadro é ainda negativo porque mostra a dependência do país de factores que não controla na totalidade.
Rispito.com/Lusa, 27-11-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público