segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Ordem dos Jornalistas preocupados com ondas de censura


A ordem dos Jornalistas da Guiné-Bissau estão muito preocupados com a censura nos órgãos públicos da comunicação social do país.

Por esta razão, uma  delegação da Ordem dos jornalistas chefiada pelo António Nhaga teve uma reunião com um dos conselheiros de Umaro Sissoco,   a quem transmitiu a inquietação da Ordem.

Conforme António Nhaga, a reunião serviu para discutir varias situações ligadas a censura no seio da classe jornalística, numa abordagem onde a rádio capital FM e o modelo de negócios de jornalismo na Guiné-Bissau dominou o encontro.

Lembra-se que acusações dão conta de que Tcherno Bari (segurança do primeiro-ministro chegou de lançar afirmações de  acabar com as emissões da rádio Capital FM e de ameaçar jornalistas da mesma estação.
Facto desmentido pelo conselheiro, afiançando que se isso acontecer é uma questão isolada que não tem nada a ver com o chefe do governo.

Nhaga ainda aproveitou falar sobre os conceitos da objectividade e imparcialidade com referencias de que os jornalistas têm a missão de construir a verdade com base nas informações que recebem das suas fontes. Assim sendo, o jornalista como órgão publico, limita-se a uma única verdade a ser difundida, independentemente dela ser pública ou privada.
Rispito.com, 27-11-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público